O que é Sepse e Como Evitar?

Câncer? Doenças cardiovasculares? Acidente vascular cerebral?

Nada disso.

 

Segundo estudo assinado por 24 pesquisadores de universidades de seis países baseado em registros médicos de 195 nações, a principal causa de morte em UTIs pelo mundo é algo que você só conhece se aprender o que é sepse.

Embora seja extremamente letal a sepse pode ser evitada. Com base neste artigo publicado pela Ensino em Saúde, separamos algumas informações que podem ser úteis para a ajudar a prevenir a sepse. Descubra como no texto abaixo!

Veja Também: Lift Chá Funciona e Emagrece Mesmo? Onde Comprar [SITE OFICIAL]

O que é sepse?

A sepse, mais conhecida como infecção generalizada, é um conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção.

Embora a infecção pode estar localizada em apenas um órgão, como por exemplo, o pulmão, ela provoca em todo o organismo uma resposta com inflamação numa tentativa de combater o agente da infecção. Essa inflamação pode vir a comprometer o funcionamento de vários dos órgãos do paciente, levando, muitas vezes, ao óbito. 

Como ela pode ser diagnosticada? 

Agora que já entendemos o que é sepse, é hora de aprender como ela pode ser diagnosticada. Afinal, um diagnóstico rápido pode ser crucial na hora de evitar a morte do paciente.

O médico deve fazer uma avaliação do quadro clínico e solicitar exames como cultura de urina, sangue e secreção. Porém, o paciente deve ficar atento a sintomas como:

Dificuldade respiratória ou falta de ar;

  • Vômito;
  • Sonolência;
  • Frequência cardíaca aumentada;
  • Quantidade de urina reduzida;
  • Queda na pressão arterial;
  • Temperatura muito alta (acima de 38ºC) ou muito baixa (inferior a 36ºC);
  • Fraqueza extrema

Ao apresentar um ou mais dos sintomas acima, pessoas do grupo de risco devem procurar um médico, pois se não tratada logo, a sepse pode levar à morte em um espaço de tempo muito curto.

Quem está no grupo de risco?

Pessoas nas unidades de tratamento intensivo (UTI) estão mais suscetíveis à sepse, porém ela pode afetar outros grupos, como, por exemplo:

  • Idosos;
  • Pessoas que receberam um transplante de órgãos;
  • Bebês de até um ano de idade;
  • Pessoas com grandes ferimentos causados por queimadura, cortes ou trauma;
  • Portadores de doenças crônicas, como câncer, AIDS, diabetes, insuficiência hepática, cardíaca e/ou renal;
  • Pacientes hospitalizados por muito tempo ou internados em UTIs

Por ser uma condição grave, sendo principal responsável pelos óbitos nas UTIs, a sepse deve ser tratada o quanto antes e muitas vezes isso acontece quando há suspeitas da doença, mesmo antes da confirmação do diagnóstico, que pode levar algum tempo até sair os resultados.

Qual o tratamento?

Quando se há suspeitas de sepse, o médico deve iniciar um tratamento à base de antibióticos e caso haja agravamento da condição, o paciente deve ser internado na UTI o quanto antes, para que possa receber supervisão médica constante e mediação para controle da pressão arterial quando necessário.

Mas como evitar a sepse?

Embora a taxa de mortalidade seja de 20% a 60% dos casos, ela pode ser evitada com procedimentos bastante simples.

Primeiramente, é importante entender que não são apenas os pacientes internados em hospitais que estão sujeitos a ela, portanto, lavar as mãos e punhos com sabão ou álcool ao chegar da rua, visitar pessoas doentes ou hospitais são práticas essenciais para evitar a sepse.

E, como estamos vivendo durante a pandemia do Covid-19 essas práticas já se tornaram padrão no nosso dia a dia. Mas é fundamental que mesmo após a vacina mantenhamos esses hábitos de higiene pois ele pode salvar nossas vidas.

Outro ponto importante é a auto medicação.

Pode parecer óbvio, mas muitas pessoas tomam remédios por conta própria e isso pode gerar problemas de saúde, principalmente se estivermos falando de antibióticos, pois podemos adquirir tolerância ao medicamento fazendo ele perder a eficácia quando for realmente necessário. E por último, mantenha a carteira de vacinação atualizada. Afinal, todo cuidado é pouco.

Como você viu, embora extremamente perigosa, práticas simples podem evitar a sepse e contribuir para uma melhor qualidade de vida.

Afinal, mais importante do que saber o que é sepse, é aprender a ficar atento aos sintomas e manter hábitos de higiene no dia a dia. Além disso, quanto mais informações você tiver sobre o assunto, mais fácil será de se prevenir.

E aí, o que achou do conteúdo? Deixe um comentário com a sua opinião abaixo!

0 Comentários

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: